Mulher e Feminilidade

Mulher e Feminilidade

Mulher e Feminilidade

Mulher e Feminilidade é um assunto que causa bastante polêmica. Essa realidade é defendida de várias formas diferentes. Aqui abordaremos a favor da feminilidade.

Segundo o dicionário, Feminilidade, qualidade, caráter, modo de ser pensar e de viver próprio da mulher.
Ser feminina não significa ser fraca, nem abrir mão do seu poder pessoal, como fomos programadas a acreditar. Portanto, o verdadeiro poder feminino não é está em se igualar na força do homem, mas olhar para o seu relacionamento com o masculino saudável.

Ser feminina é usar todos os recursos, qualidades e características que são inerentes à mulher. Não significa que a mulher deve abrir mão do sucesso financeiro e profissional para ser feminina.

Ser mulher não é respeitar um padrão que a mídia impõe: que deve ser magra, alta, bunda de tal tamanho, seios fartos. Se não estamos dentro desses padrões, que tipo de mulheres somos?

Força Feminina

Força Feminina

Muitas mulheres se sentem e se reconhecem fracas diante da vida e diante de si. Porque estamos numa crise de identidade em que nos sentimos perdidas dentro da sociedade por não saber o que é ser feminina.

Definitivamente o homem não é melhor que a mulher, assim como a mulher também não é melhor que o homem. Somos importantes com funções e forças diferentes e próprias em que um complementa o outro.

O homem e a mulher têm missões diferentes, natureza também diferente. Se negarmos essa natureza e cumprimos funções que pertence ao outro estaremos deslocados na vida. É como vestir uma roupa que não é da nossa medida.

A natureza feminina é diferente ao do homem. Temos hormônios, órgãos, características emocionais e psíquicas que são exclusivos da mulher.

Infelizmente temos um histórico de desvalorização e violência à mulher. Continuamos sendo objetos de violência e abuso. Esse sofrimento despertou a busca pela valorização e igualdade de direitos.

Essa igualdade trouxe muitos benefícios à mulher, porém em alguns aspectos, a mulher se perdeu, passando a odiar o masculino e querendo se igualar a tudo aos homens.

Sejamos realistas, não queremos ter todos os direitos jurídicos que o homem tem, nem temos estruturas físicas e emocionais para isso, como:

• Se aposentar no mesmo período e idade dos homens.

• Ser obrigada ao Alistamento Militar.

• Que as Leis que  favororáveis às mulheres acabem como: Lei Maria da Penha, Lei do Feminicídio, Leis Trabalhistas (Licença Maternidade).

Somos todos iguais

somos todos iguais

O feminismo luta por uma igualdade que nos torna masculinizadas, que não precisamos de homem para nada e não percebemos que isso também é extremismo. Consequentemente tudo ao extremo é nocivo, logo se o machismo não é bom, porque o feminismo seria?

Seria maravilhoso usarmos essa força que nos foi dada para gerar vidas, educar os filhos a respeitar a nossa natureza também. Somos a maior influenciadora na vida dos filhos. Geramos morte quando não educamos os meninos a desempenhar o seu papel na vida e a valorizar a mulher e feminilidade.

Quando as crianças são pequenas, exaltamos a genitália do menino. Ele pode mostrar e ainda achamos engraçado e já a menina tem que manter escondido e ela não podem mostrar porque é feio e nojento.

Os meninos crescem acreditando que pode usar esse órgão para o que quiser e o outro tem que achar engraçado como os pais faziam e as meninas se tornam objeto dessas atitudes irresponsáveis. Nós mulheres quem educam os homens da nossa sociedade.

Os seres humanos têm o masculino e o feminino dentro de si. São duas forças distintas e importantes. Quando uma força se torna mais importante que a outra, uma é valorizada e a outra rejeitada.

Desenvolvemos uma raiva ao masculino, mas assumimos uma postura igual. Ser igual ao homem é diferente de agir com o masculino. O masculino é nossa força de ir para a vida, ação e realização.

mulher feminina

Como podemos valorizar o corpo feminino se negamos as características específicas e mostramos desprezo pelo nosso corpo feminino?

É impossível gerar vidas sem a participação masculina e a feminina, por isso que cada um tem o seu papel na vida. Nós mulheres precisamos nos posicionar na vida, nos amando, respeitando e valorizando a nossa essência para sermos felizes com o que nos foi dado pelo o Criador.

Por isso, temos que nos respeitar e se fazer respeitar, mas sem esquecer que temos que respeitar o masculino também. O masculino saudável e responsável e nunca um masculino violento, abusador e assassino.

E se você gostou de nossas dicas de hoje continue em nosso site e confira muito mais.

Acompanhe nossa página no Facebook @jeit0demulher

Envie seu comentário